Curso on-line de prevenção e combate ao bullying

A palavra da moda na educação atualmente é bullying. De dois ou três anos para cá, o tema que durante toda a história da humanidade foi jogado para debaixo da mesa, escondido e mascarado, passou a ser assunto nas rodinhas da escola, na família, e sobretudo na imprensa. Depois da tragédia de Realengo, então, não se fala em outra coisa.

Mas o que eu vejo é uma discussão generalizada, sem rumo a seguir. Todo mundo quer combater o fenômeno, mas não sabe exatamente como. Existe uma cobrança em cima da escola, mas, convenhamos, nem mesmo os professores estão preparados para isso. Como abordar o problema? O que cobrar? O que proibir? Nada disso está totalmente claro para educadores, pais e, claro, para a sociedade.

Pipocam iniciativas aqui e acolá, como a do professor Alexandre Malmann, que faz um belo trabalho com alunos de escola pública de Goiânia. O projeto se chama Terra Sem Bullying. E por conhecer o seu trabalho – feito com seriedade e de forma voluntária, diga-se de passagem – que faço questão de ajudá-lo a divulgar o curso que ele vai ministrar em oito módulos: Fenômeno Bullying – prevenção e combate. Além da origem do problema, o curso vai abordar também as possibilidades de intervenção e prevenção na escola.

A vantagem é que, por ser on-line, educadores de todo o País poderão aproveitar a oportunidade. O custo é de R$ 110. Quem quiser mais informações pode acessar o blog do professor Alexandre. Assista também ao vídeo no YouTube.

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Notícias, Sugestões

5 Respostas para “Curso on-line de prevenção e combate ao bullying

  1. Importante iniciativa. Aqui, o governo do Estado, a pedido do próprio governador Tarso Genro, em 45 dias lançará uma campanha publicitária de alerta e valorização do papel social de educadores(as) em sala de aula. http://www.profhelder.blogspot.com

  2. carlos henrique

    110 paus pros mulekes não se matar…
    … educador de escolar pública tá podendo mesmo!!!!
    Não faltam oportunistas hein!
    A verdade é que não precisa de curso nenhum pra saber
    lidar com isso!!!
    Parem de inventar seus mercenários.
    Ensine todas as crianças a se comportarem bem, oriente as que são
    prováveis vítimas da covardia dos colegas à reportarem todas as ocorrências de maus tratos. Identifique os possíveis bulinados, pois sempre sabemos quem são os que mais causam bullyng mas nunca sabemos nem sequer o nome dos bulinados. Incentive sempre os alunos que se comportam bem, elogiando-os. Seja severo com os intimidadores e piadistas, mas sempre de maneira educada.
    Tolerancia Zero para os intimidadores. Convoque suas mães, retire-os de excursões. agindo assim não haverá mais Bulling!!
    Aliás que palavra idiota que apenas excita os intimidadores. Eles são na realidades covardes e o bulling resumido é só isso COVARDIA.
    bULLING = COVARDIA NA ESCOLA!
    PAREM DE DOIRAR A PILULA!!!!

    • Lídia Borges

      Infelizmente, Carlos, a situação não é tão fácil como você descreve ou como parece ser. Essa tolerância zero sem um trabalho profícuo entre os alunos não funciona. Nenhuma medida imposta é eficiente ou sequer inteligente se não houver por trás uma conscientização. Em princípio, pode até ser cumprida, mas não surtirá efeito para além da escola. Os jovens precisam compreender o que estão fazendo e por que estão sendo corrigidos, para que não reproduzam cenas lamentáveis como temos visto e sabido costantemente. Parece óbvio, mas, na prática, não é. Não é por acaso que vemos casos aos montes de professores desesperados em situações com as quais não sabe lidar. A maioria não está preparada para um assunto que é delicado. Não se aprende a lidar com isso nas faculdades.
      Cobrar por um curso não é ser mercenário, uma vez que estamos falando de pessoas preparadas para repassar conhecimento, conteúdo e experiências que enriquecerão as relações nas escolas (e tudo isso tem um custo). Mas esse custo não precisa ser do professor. Ele deve ser do governo, que, na minha opinião, tem obrigação de promover essa capacitação para os professores de escolas públicas. É também dos donos de escolas particulares, que são responsáveis pelo ambiente que oferece aos seus alunos.
      Simplificadamente, o bulling pode até ser traduzido como covardia, mas sua origem e implicações são muito mais complexas.

      No mais, obrigada pelo comentário. Continue lendo e participando.

  3. maria adelaide pimenta

    Um absurdo cobrarem por um curso desses! Repudio completamente. Gentalha.

  4. A questão é complicada, mas não impossível de se resolver e nesse caso sabe de quem é o problema? De todos! Como escritora e consultora em segurança trabalhando nesta área digo que ações conjuntas de pais, escola e segurança minimizam este problema. A tão necessária formação cidadã há muito esquecida precisa ser posta em prática para que este absurdo pare. Somente quando todos entenderem que precisam assumir posições diferentes das atuais cada um assumindo sua responsabilidade (dirigentes de escolas, pais, professores e alunos) é que teremos uma sociedade organizada e em paz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s